• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Lei Seca Se beber não pedale

Por: Laís Araújo - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/05/2013 08:16 Atualizado em: 06/05/2013 12:24

Pethrus Cavalcanti, 20, já pedalou depois de beber, mas diz nunca ter estado bêbado ao pedal. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press
Pethrus Cavalcanti, 20, já pedalou depois de beber, mas diz nunca ter estado bêbado ao pedal. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A Press
Foram necessárias medidas de endurecimento legislativo para que muitos motoristas contemplassem com mais seriedade os ricos de dirigir após beber. Com a operação Lei Seca, mesmo quem acredita que beber só uma cervejinha não interfere na sua capacidade enquanto motorista, acaba tendo mais cautela por causa da possibilidade de prejuízo no bolso. De bicicleta, mesmo sem o risco financeiro, os perigos são tão grandes quanto os existentes para quem transita em quatro rodas. Se ciclistas já devem se locomover com bastante cuidado no trânsito urbano, é fortemente recomendado que nunca saiam pra pedalar após o consumo de álcool.

Apesar de estar consciente dos riscos, o estudante Pethrus Cavalcanti, 20, já pedalou depois de beber. “Nunca foi algo planejado. Já ocorreu de eu ir pra algum lugar de bicicleta sem a intenção de beber, mas acabar tomando uma cerveja e ter que voltar pra casa pedalando. Mas nunca estive bêbado enquanto pedalava”, conta. Ele, que mora no Rosarinho, adquiriu o hábito de se locomover de bike há poucos meses, mas já pedala diariamente, principalmente de madrugada. “Ainda estou me planejando para passar a ir ao trabalho de bicicleta, mas enquanto isso vou pra casa de amigos, pra praças, pra Rua da Aurora. Vou com mais frequência no fim da noite, quando as ruas estão mais tranquilas, com poucos carros”.

Também motorista, Pethrus nunca dirige após o consumo de álcool. “Quando estou de carro, sinto que perco o controle mais facilmente. Você fica menos atento depois de beber. Acho bem perigoso. Acredito que o mesmo ocorra quando você está de bicicleta”. Uma das vezes que o estudante pedalou depois de tomar uma cervejinha foi durante a ciclofaixa de lazer. “Não acho que seja justificado nem aconselho que ninguém o faça. Nunca aconteceu nada, mas não é algo que eu pretenda fazer novamente”. O trajeto da ciclofaixa conta com restaurantes e bares em seu trajeto, o que facilita essa mistura inadequada.

O tenente-coronel André Cavalcanti, coordenador da Operação Lei Seca, informa que mesmo as bicicletas motorizadas não são paradas pelas blitzes, porque a operação fiscaliza apenas veículos emplacados. Apesar disso, o risco de acidentes é alto para qualquer tipo de veículo, inclusive as bikes comuns, e o coordenador ressalta que as recomendações não devem ser deixada de lado pelos bicicleteiros. “Como orientado para qualquer tipo de veículo, se beber, não dirija”. Durante a ingestão de bebidas alcoólicas, as percepções de distância e velocidade ficam alteradas, a capacidade de reflexos é diminuída, e há prejuízos à concentração e à coordenação motora.

TAGS:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.