• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
BikePE De bicicleta fotografando o Brasil Ciclista pretende registrar a cultura da bicicleta no país

Por: Laís Araújo - Diario de Pernambuco

Publicado em: 03/05/2013 09:56 Atualizado em: 03/05/2013 12:10

Projeto Transite/Divulgação
Projeto Transite/Divulgação
Em Bicycle Portraits (traduzido livremente, Retratos de Bicicleta), dois fotógrafos decidiram viajar pela África do Sul e registrar a cultura da bicicleta no país. Condizentes com a temática, viajaram nas próprias bikes e fotografaram cerca de 500 ciclistas durante os dois anos que passaram na estrada. Com ideia semelhante mas plano de fundo diferente, Felipe Baenninger, que trocou a espera pelo transporte público pelos deslocamentos de bicicleta, pretende descobrir e fotografar quem são os ciclistas brasileiros no projeto Transite, que atualmente busca financiamento colaborativo.

A motivação é simples. Partindo do princípio que usar a biciclista interfere na forma como os indivíduos interagem com a cidade, o Transite quer fotografar os ciclistas do campo e das áreas urbanas, para ajudar nas atuais discussões sobre mobilidade. Na segunda fase no site Catarse, que proporciona que pessoas que acreditam na ideia sejam seus patrocinadores, o projeto quer percorrer 17.000km do solo brasileiro em 400 dias. Entre as cidades da rota, o Recife. “Estive em Recife uma vez pra cobertura de um festival. Foi uma delícia, mas não conheci tudo o que eu queria”, conta Felipe. “Dizem que a bicicleta em Recife é bem animada. Espero conhecer pessoas que me indiquem bons personagens”.

Projeto Transite // a reta final from Felipe Baenninger on Vimeo.

Apesar de ainda não ter partido, Felipe se tornou ciclista há quatro anos e nesse tempo já pôde observar características dos que pedalam no país. “Tem o grupo, em que me encaixo, de quem passa a se deslocar de bicicleta por causa da sensação de liberdade que ela provoca, pela rede de pessoas que você conhece através dela”. O fotógrafo afirma que esse movimento ocasiona um retorno ao bem-estar dentro da cidade, que passa a ter a sensação positiva de cidade pequena. “Também tem o grupo que pega a bicicleta e vai até ao seu destino sem se perguntar muito. A bicicleta é algo ligado a simplicidade. Mas esse ciclista ainda é o ciclista invisível, o que o projeto mais quer mostrar”.

Além da vontade de mudança em relação ao que sentia por São Paulo, Felipe também passou a usar a bicicleta por causa das dificuldades com o transporte público. “Eu era um infeliz usuário do transporte público. Meu bairro nem era tão distante, mas o caminho que o ônibus fazia levava cerca de duas horas. De bicicleta, levava uma hora. Foi uma troca natural, pelo bem-estar mesmo”, afirma. Já do início do projeto Transite, Felipe fala com empolgação e diz ser difícil apontar uma cidade que quer visitar mais. “Estou ansioso no geral. Uma viagem desse tipo é muito empolgante. É muito desapego envolvido e emoção por todos os lados”.

Na primeira fase no site Catarse, o Transite alcançou, com a ajuda de 158 apoiadores, R.355 da meta de R.000. Apesar de incompleto, ter conseguido o valor significa que o projeto tem uma nova chance para alcançar o restante da verba prevista.

Conheça e apoie o projeto: http://catarse.me/pt/transite.

TAGS:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.