• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
BikePE Recife pode ganhar ciclofaixas nas avenidas Prefeitura estuda a implantação do espaço para bikes. Para isso, teria que estreitar as faixas de rolamento das vias

Por: Ana Cláudia Dolores - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/04/2013 22:20 Atualizado em: 30/04/2013 15:51

criação de ciclofaixas e corredores exclusivos de ônibus pode ser possível com medidas simples que dispensam grandes investimentos. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
criação de ciclofaixas e corredores exclusivos de ônibus pode ser possível com medidas simples que dispensam grandes investimentos. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
A criação de ciclofaixas e corredores exclusivos de ônibus pode ser possível com medidas simples que dispensam grandes investimentos e ainda conservam o lugar dos automóveis nas vias. Para isso, basta estreitar as faixas de rolamento e, com a área restante, criar espaços exclusivos para a bicicleta e o transporte público. A fórmula pode ser facilmente aplicada a avenidas de qualquer largura. A proposta foi defendida ontem pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), durante a segunda reunião do Fórum Técnico Permanente de Discussão sobre Mobilidade Urbana. O secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, declarou que a sugestão é viável e que já está sendo estudada para ser implantada em corredores da cidade.

A segregação do tráfego é uma das ações de curto prazo que o Crea sugeriu à Prefeitura do Recife (PCR) durante o fórum, que contou com a participação de especialistas em mobilidade de todo o Brasil. “É algo de baixo custo e de ação imediata, que prioriza o transporte coletivo”, resumiu o presidente do Crea, José Mário Cavalcanti. A proposta, chamada de faixas estreitas de circulação, consiste em substituir, por exemplo, quatro faixas de três metros e meio por outras quatro de três metros e mais uma de dois metros, que seria transformada em ciclofaixa.

Segundo o engenheiro civil e especialista em trânsito e transporte Stênio Cuentro, foram feitos cálculos nas avenidas Agamenon Magalhães, Mascarenhas de Morais e Domingos Ferreira, mas qualquer outra da cidade, como Abdias de Carvalho, Norte e Recife, poderia promover a separação dos modais sem complicações. “Na Avenida Norte, por exemplo, é totalmente viável aproveitar o meio da pista para criar uma ciclofaixa, já que esse espaço está ocioso e não há giros à esquerda para atrapalhar”, declarou Cuentro.

De acordo com o secretário João Braga, a PCR já está avaliando a possibilidade de aplicar essa lógica em avenidas importantes da cidade. “Não podemos dizer quais são agora, pois estão em estudo. Vamos implantar sensores em cada cruzamento para fiscalizar os motoristas e evitar que o processo seja desmoralizado”, adiantou. Os sensores teriam o papel de identificar os veículos que invadissem a faixa dedicada ao ônibus ou à bicicleta para circular por elas. A passagem deles para fazer os giros estaria permitida.

Por enquanto, faixas exclusivas para ônibus estão garantidas nas avenidas Beberibe, na Zona Norte, e Domingos Ferreira, na Sul. Esta deverá ser contemplada com uma ou duas faixas no modelo BRS (sigla em inglês para Serviço Rápido de Ônibus) e será implantado assim que a Via Mangue for liberada para o trânsito a partir de dezembro. Já a Agamenon Magalhães será requalificada pelo governo do estado para receber o BRT (sigla para Transporte Rápido por Ônibus). “Na Agamenon não temos como fazer nada porque essa via está incluída no projeto do corredor Norte/Sul, que está sendo tocado pelo estado”, justificou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.