• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Internet Escritor Paulo Coelho pede ao senador Cristovam Buarque para não lhe enviar e-mails No Twitter, artista publicou apelo para político e vários internautas manifestaram o mesmo problema

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/09/2017 10:44 Atualizado em:

Fotos: Paulo Coelho/Divulgação e Edilson Rodrigues/Agência Senado
Fotos: Paulo Coelho/Divulgação e Edilson Rodrigues/Agência Senado

O escritor Paulo Coelho fez um pedido público ao senador Cristovam Buarque, do Partido Popular Socialista. No Twitter, o artista solicitou ao político que parasse de enviar e-mail automáticos com informações sobre a gestão e planos de governo. "Senador Cristovam Buarque, favor remover meu endereço de e-mail da sua lista de spam, tentei várias vezes e não funciona. Não me interessa o que pensa", publicou Coelho. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

O senador, que votou a favor do impeachment da então presidente Dilma Rouseff, não respondeu ao apelo de Paulo Coelho até a publicação desta matéria. Nos comentários da publicação, alguns internautas alegaram terem passado pelo mesmo problema e deram dicas de como resolver a situação. O escritor afirmou que já tentou criar um filtro para que as mensagens dele sejam direcionados ao lixo, mas "nem sempre funciona". 



"É aquele que morreu politicamente em 2016? Depois disso ficou vagando por ai de galho em galho, mas sem ideais", perguntou uma seguidora. "Sempre que recebo e peço que remova, vem uma resposta automática dizendo que nao pode ser entregue o meu e-mail. O dele pode", respondeu Paulo. "Isso também aconteceu comigo. Enviava e-mail quando era ministro. Deixou de ser ministro continuou enviando suas mensagens Tive que insistir", apontou outra internauta. Aos 73 anos, o senador estudou na Escola de Engenharia do Recife e fez mestrado em Economia pela Universidade Católica de Pernambuco. Desde 1979, é professor na Universidade de Brasília, em que se tornou reitor em 1985 e exerceu o cargo até 1989. 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.