Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Pernambuco.com

Recife, 25/FEV/2018
 
cheia

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cuidados » Para curtir o verão sem superaquecimento O calor chegou com tudo e, para evitar a hipertermia, quando há um aumento excessivo da temperatura corporal, é preciso tomar alguns cuidados com o pet. Vale até fazer picolé de ração

Paloma Oliveto - Correio Braziliense

Publicação: 25/01/2018 09:03 Atualização: 25/01/2018 09:09

Luke Skywalker sabe curtir o verão / Foto: Arquivo Pessoal (Foto: Arquivo Pessoal)
Luke Skywalker sabe curtir o verão / Foto: Arquivo Pessoal
O calor chegou com tudo e é hora de redobrar os cuidados com cães e gatos, para que se mantenham saudáveis na estação. Para se ter uma ideia dos estragos que o sol forte pode provocar, a Karla Marques, coordenadora do setor de filhotes da Petz, conta que as clínicas da rede registram crescimento de 30% nos casos de hipertermia, quando aumenta muito a temperatura do corpo do animal, com risco de elevar a pressão e causar parada cardíaca. “Por isso, é importante amenizar os efeitos do calor”, alerta. Entre as dicas para deixar os pets mais confortáveis está até o sorvete de ração.

“Como não transpiram, os bichinhos trocam calor pela boca e têm maior dificuldade para manter a temperatura corporal”, explica a veterinária.

Os pets obesos e os braquicefálicos (com focinho curto, como as raças bulldog inglês e francês, pug, shih tzu, lhasa apso) são os mais afetados. Os sintomas são respiração ofegante, apatia, fraqueza, falta de apetite, vômitos, diarreias e até convulsões ou desmaios com perda de consciência. Confira abaixo como melhorar o bem-estar dos bichinhos com a alta da temperatura.

10 dicas para proteger os pets do calor:

1 – Sorvete de ração
Mantenha a alimentação normal com ração balanceada que tem todos os nutrientes que o pet precisa. Mas deixe o pote sempre à sombra e retire as sobras para evitar deterioração. Para amenizar o calor, ofereça também o sorvete de ração. “É só bater a ração no liquidificador com um pouco de água, colocar em forminhas de gelo e congelar”, explica a veterinária.

2 – Água fresca
Troque com frequência a água da vasilha, para que esteja sempre fresca e disponível, e estimule o pet a beber mais vezes ao dia. Nos passeios, leve o cantil ou use os bebedouros de parques e lojas mais vezes. Uma dica bacana é colocar pedras de gelo para manter a água fresca por mais tempo.

3 – Passeios
“Os melhores horários são iguais aos usados para passear com um bebê, entre 6h e 10h, e após as 17h”, orienta a veterinária. De preferência, longe do asfalto quente, que pode causar queimaduras sérias nos coxins, as “almofadinhas” das patinhas dos pets. Ao notar que o bichinho está ofegante, é importante parar num local fresco, oferecer água, borrifar um pouco dela pelo corpo do cão.

4 – No carro
Mantenha a ventilação do carro e, em caso de viagens longas, faça paradas para o pet se refrescar. Com apenas 10% de perda de fluidos corporais, eles já podem desidratar. Os sintomas são perda de elasticidade da pele, letargia, perda de apetite, olhos fundos, focinho, boca e gengiva secos.

5 – Filtro solar
Use filtro solar específico para pets no focinho, extremidades das orelhas e barriga para evitar câncer de pele. Os mais afetados são os de pelagem e pele mais claras, como o pit bull branco, maltês, whippet, staffordshire terrier americano e boxer branco.

6 – Esportes e ação
Sempre em horários de calor mais ameno, como no começo da manhã ou no final da tarde. Caso o pet goste de nadar, como o labrador e o golden, é preciso ter cuidado com os ouvidos e com o pelo, secando bem e retirando todo o resíduo de cloro ou de água salgada, para evitar inflamações e micose.

7 – Mais sombra, por favor
Para os pets que ficam em quintal ou varanda, é importante manter um local fresco, para que possam se proteger do calor e das chuvas de verão. O ideal é que tenham opções de sombra para se abrigar, além de um piso frio para deitar esparramado, ajudar a baixar a temperatura e facilitar as trocas de calor.

8 – Sem pulga atrás da orelha
A hipersensibilidade à picada de insetos é a causa mais comum das alergias em cães. Por isso, intensifique os cuidados contra picadas de insetos, pulgas e carrapatos, pois as temperaturas altas formam um ambiente ideal para a proliferação deles. Peça orientação ao veterinário para utilizar os produtos mais apropriados para o seu pet.

9 – Doença da praia
Para aqueles que vão ao litoral ou que moram em cidades que têm praia, é preciso prevenir contra a dirofilariose. Ao picar, o mosquito transmite parasita que se aloja no coração de cães e gatos, provocando lesões e até insuficiência cardíaca. Procure o veterinário para indicação de vacina ou uso de vermífugo para prevenção.

10 – Vacinação em dia
Carteira de vacinação deve estar em dia, pois há mais contato entre os pets, eles saem mais para passear, além da temporada de chuvas, que pode trazer risco de leptospirose.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.










SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss